Tuesday, August 12, 2008


Você conhece alguém que não tem nenhuma doença? Ou problema de saúde? Alguém 100% saudável, sem vícios, sem dores nenhuma no corpo, na cabeça, sem problemas psiquiátricos ou psicológicos, problema de coração, pressão, motor, alergias, etc.

Pois bem, eu não conheço.
Todo mundo que eu realmente conheço sofre , de algo...aliás sofre, é uma palavra tão baixo astral.
Porque doença muitas vezes não significa sofrimento, não que você vai sair cantando por ai: eu sou doente e não estou nem ai. Mas é o tipo do termo inventado, e associado...com doença, dor, sofrimento.
Mas pessoas que realmente passam por sérios problemas de saúde, e são conscientes disso, merecem o meu respeito e mais do que tudo admiração.
E principalmente aquelas que não fazem drama porisso, porque sabem que não vai adiantar nada, só piorar.

E talvez seja esse o grande segredo. Saber lidar com o que se tem. E claro que às vezes a barra pesa demais. Tenho uma amiga que tem o mal de Parkison, que é uma doença irreversível, e cada vez mais os músculos do corpo vão se encolhendo. Ela se mexe cada vez mais, e ficar na presença dela nos primeiros instantes, dói...fundo na alma da gente, é uma situação de desconforto, até a gente acostumar, depois de uma hora, a gente acostuma, mas quando sai da casa dela, dá um alívio e um certo pesar e frustação, que não se pode fazer nada.
Essa mesma pessoa anos atrás, quis entregar os pontos que nem dizia meu pai.
Um dia qualquer, encheu a boca de remédios para dormir, e queria sumir...
Foi parar no hospital, fizeram-na uma lavagem estomacal, e ficou alguns dias para observação.
Depois de recomposta, mandou cartões pra todos amigos e familiares, pedindo desculpa pela incomodação e preocupação e pelo momento de fraqueza. E todos os cartões foram feitos a mão, com pinturas próprias.
Nem precisava, porque quem realmente se importa com ela, entende.

O livro "A doença como caminho" elucida as doenças como inexistentes - no método tradicional, claro. E o remédio é a compreensão para atingir a consciência o auto-conhecimento, o enfoque principal são os diferentes sintomas das doenças(que são como um alerta da alma para uma carência essencial). Tanto faz se você é uma pessoa doente ou uma saudável, o mais importante é como você age perante a sua doença, e como lida com ela, o que aprende com ela e como cresce espiritualmente através dela.
Se essa mensagem é entendida, qualquer pessoa com qualquer doença que seja, está pronta pra ter uma vida normal, digamos, nova a cada dia. Me incluo nessa lista, porque sei muito bem porque a depressão apareceu na minha vida. Nunca havia levado a sério depressão e síndrome do pânico, até pagar na carne.

Eu fechei todas com esse livro, principalmente com os métodos de questionamentos profundos, e com a visão do Ego como grande vilão.
Aliás estou lendo um outro livro também que enfatiza o ego, como causa das grandes desgraças da vida humana, e até me perguntei se não seria utopia, mas é porque eu ainda não entendi como se fica aware, aliás na teoria entendi, sei que a prática vem com a observação de nós mesmos, e também dos outros e tudo ao nosso redor, aliás é uma questão novamente de estar alerta, opa...isso é a teoria que entendi.
Bom, é um novo enfoque, quem se interessar a dica está dada.

No comments: