Monday, August 4, 2008

Gay pride parade - Amsterdã 2008

as tias Bebete e René *...


Sábado passado, dia 2 de agosto foi um marco no mundo gay na Holanda em 2008.
Mais de meio milhão de pessoas visitaram o Gay pride nos canais de Amsterdã, e 80 barcos navegaram nos canais, barcos de todos os gêneros, cores, mensagens, e até políticos do partido dos Trabalhados o PvdA (partij van de arbeiders)...o partido que eu costumo votar.
Esse ano o enfoque era realmente elucidar da parte dos políticos a fama de tolerancia de Amsterda como capital gay da Europa e da política da Holanda, haja visto que ultimamente nas grandes festas em Amsterda, os decendentes ou estrangeiros principalmente do mundo islamico repudiam os gays e partem para a ignorancia usando de violencia e agressividade, refletindo a falta de informacao e ignorancia e o confronto com anos de liberdade conquistada na Holanda por parte dos gays.

Um povo azedo, assim como muitos das Antilhas Holandesas)ex colonia', homofóbicos, ai é quase ímpossível nao odiar pessoas assim de cabeca de porongo, já que vim tambem de um pais de cultura machista e cheio de piadinhas de mau gosto e que muitos estao no armário e nem pretendem sair, morrendo de medo.
Já há uma iniciativa da Holanda no auxílio a Polonia, que por sua vez também é um pais extremamente homofóbico, o que mostra que os limites vao bem além das fronteiras, com base no dialogo aberto. Tenho um vizinho gay que ja foi várias vezes a Polonia tentar ajudar a mudar esse panorama.

Falando de coisas boas e festas, esse ano o espetáculo foi agraciado com um tempo maravilhoso, e se não era de sol, imperava no ar uma atmosfera de festa, tolerância, orgulho e fraternidade. E quem nao gosta de ver gente animada. Vi uma velhinha toda de azul, até os brincos...caminhando toda encurvada no aglomerado do café Roque de maos dadas, talvez com o filho, e o semblante sorridenta dela me fez constatar que a vida pode ser bem melhor, basta querermos.

Não vi nenhum basfonds, vi famílias, homossexuais, lésbicas, drag queens, e fora aqueles que a gente não sabe o que são. Aliás quem era contra ou estava por fora, nem compareceu.

Ganhei adesivos, camisinhas extra-strong com óleo lubrificante, dancei, tirei fotos, mas infelizmente não vi nenhum conhecido, os poucos estavam nos barcos, e os turistas que eu esperava ver, estavam soltos pela multidão e põe multidão nisso,é o mes de férias, mas em momento me senti sozinha, me senti rodeada de amor e alegria.

A Regulierdwarstraat estava abarrotada de gente, a rua mais gay da cidade, e as intermediações também, isso depois da parada...me joguei lá, mas no meio de tanta bicharada gigante, quase fui levada pela multidão, o DJ tava ótimo, sei lá quem era, e a decoração da rua com corações rosas torneados por roxo, divina...e as máquinas de bolhas de sabão e chuva de plástico colorido dava o tom alegórico e festivo da coisa.

Eu tive sorte na parada, pensando bem, e consegui um bom lugar numa ponte, e fiquei sentada assistindo barco por barco, quase como se estivesse no sofá de casa, mais em 4-D, quarta dimensão, acompanha por um amigo que me salvaria se eu caísse nos canais, se bem que eu sei nadar muito bem, mas o problema que todas as pontes (debaixo delas) estavam ocupadas com barcos, veleiros, de tudo quando é tipo e tamanho, um grande trânsito na água.

Guardei um coração cor de rosa, na chuva de corações...que um dos barcos mandou ver.
Qualquer lugar era um lugar, contanto que se tivesse um bom ângulo de visão...o que fica mais difícil se voce chega tarde ou de estatura baixa.


Para quem quiser saber mais informações, esse site abaixo diz mais sobre a parada...e sobre toda a temática gay da Holanda. Porque eu estou realmente acabada e me recuperando da festa.

clique aqui e saiba mais, veja mais, se joga e compareça no ano que vem...

Bem como ganhei vários flyers como esseque é muito prático pra turistas, com novidades, hotéis, festas, fotos, e agenda.
Uma coisa fofa de ver foi a loja gay que se pode comprar muitas coisas legais e dar de presente, nem precisa ser gay.

Bom, a tia aqui já fez suas recomendacoes...até breve, and safe sex!

* tia = um dia você vai ser (Que fim levou Robin?)

2 comments:

Beth Blue said...

Legal! Eu particularmente não tenho o menor problema com gays e acho um absurdo (pra não dizer uma tristeza) que a tolerância ande cada vez mais escassa, até mesmo em um país considerado liberal como a Holanda. Nos últimos anos, volta e meio um gay apanha na rua de grupos de jovens marroquinos, etc. Muito triste mesmo esta gente sem noção.

No mais, sexualidade é uma questão puramente individual.

Antonio Da Vida said...

Ah que saudades da Holanda ao ler o seu post! Adoraria ter estado ai, mas eu tive que escolher, Amsterdam ou Ibiza, senao teria sido demais pra mim... preciso preservar a imagem, sabe? ;-)
Adorei Ibiza, mas também adoro o Pride em Asmterdam, então a partir de agora vou fazer assim: alerno, um ano norte da Europa, outro ano sul, assim nunca canso de nada. Ano que vem esto aí! :-)
XXX/A