Wednesday, September 7, 2011

Amizade


Num mundo que se faz deserto, temos sede de encontrar um amigo.
Antoine de Saint-Exupéry

Hoje encontrei com uma amiga que fazia tempo que não via, ela veio me fazer uma visita e conhecer minha casa (nova) que nem tão nova é (logo fará 1 ano que estou morando aqui), me trouxe um presente de aniversário e um belo cartão de motivo vintage feito por ela mesma como scrapbooking pois é muito criativa, fora outros talentos que possui. 


Essa mesma amiga mora em Amsterdã (bem pertinho), e esteve recentemente no Brasil, depois de ficar 12 longos anos sem ir, e voltou contando bastante novidades e suas impressões depois de tantos anos, e até denotou  uma certa vontade de voltar a morar por lá com o filho no futuro, o filho dela adora animais, tem lagartos e tudo o mais, e ficou encantado com a fauna e flora do Brasil, fizeram passeios incríveis no Rio de Janeiro, que continua lindo.

O que eu entendo perfeitamente, pois cada vez que volto em viagem de férias do Brasil tenho sentimentos semelhantes, às vezes quero voltar a morar lá, outras fico louca pra voltar pra minha casinha onde meus filhos nasceram aqui na Holanda, às vezes penso que meu lugar é aqui mesmo, outras vezes que lá seria melhor pra mim, Dimitri também adora animais, plantas, natureza, e outras vezes fico na dúvida mesmo (com a Dominique aqui me sinto mais amparada e segura), e resolvo não fazer muitos planos sobre um futuro longínquo, porque na realidade, se eu voltasse a morar no Brasil, sentiria falta da Holanda, e ficar fazendo planos sem certeza do que eu realmente quero, pois pelas minhas prioridades (educação das crianças e tudo mais) são melhores aqui. Não faz parte do meu estilo de vida ficar brincando de ping pong, tudo é possível eu sei e sou uma pessoa bastante aberta, mas mudanças radicais ao meu ver tem de ser muito bem pensadas. Mas de uma coisa é certa, sempre gosto de ir de tempos em tempos, pisar em solo brasileiro, matar a saudade.

Ter amigos nessa vida é fundamental, onde quer que estivermos, mas morando no exterior ter amigos tem um significado diferente, já que os encontros são mais escassos, cada um segue sua rotina e sua vida e nem todo mundo mora na esquina. Amizade competitiva, amizades pra impressionar, amizade pra se gabar pelo número de amigos, amigos puxa-sacos (tapinha nas costas) conhecidos, isso não é amizade verdadeira, só quem tem amigos de verdade que sabe do que estou falando, e nem todo mundo os tem. A amizade simples e pura, é aquela em que a presença da pessoa em si já é o bastante, não precisa ter confeitos nem enfeites, e o maior presente, o mais importante é compartilhar idéias, pensamentos, divagar junto, viajar na maionese, se divertir com a presença da pessoa, trocar experiências compartilhando interesses comuns, ou seja, raridade, admitir as diferenças (ainda bem), e poder se abrir com a pessoa (essencial), nos mostrarmos nus, poder confessar nossos medos e inseguranças sem temer que o outro tire proveito de nossas fraquezas, porque amigo que é amigo, jamais fará isso. A amizade preenche e acrescenta às nossas horas, não tira, não diminui, não empaca, não nos coloca pra baixo, só nos leva a seguir adiante, com mais confiança em nós mesmos e na vida, uma virtude que cultivo desde pequena e sei do seu precioso valor.

Obrigada Beth (blue) por ser minha amiga e até nosso próximo encontro inspirador!







1 comment:

Beth Blue said...

O prazer foi todo meu! Também adoro nossos encontros, volto pra casa sempre revitalizada - e cansada de tanto falar, hehehe.

Se tem uma coisa que faz a vida valer a pena é a amizade verdadeira. Mercadoria rara nos dias de hoje e por isso ainda mais valiosa.

beijos