Monday, March 31, 2008

Hatha YOGA holidays


Chegou o momento de pensar nas férias de verão, de programar as três semanas inteirinhas só para moi.
Isso acontece sempre quando se tem filhos e quando se é como eu uma alleenstandmoeder(mãe sózinha) com guarda compartilhada como muitos pais divorciados, quem fica com quem e por quanto tempo.

Divórcio para mim não é mais assunto, em agosto farão sete anos que estou divorciada, que assinei o papel e que deixei o complicado nome Crooijmans de lado, mas que pensando bem me facilitava muito, porque como já mencionei o sobrenome Borda Indarte aqui é complicado pra eles.
A primeira vez que eu viajei sozinha sendo mãe (foi por uma semana), e quando peguei o avião, sem saber quem estaria ao meu lado...eu gelei, achei estranho, não precisar olhar pros lados, pegar na mão, cuidar. Isso foi em Lisboa.
Uma semana era tempo suficiente, porque eles eram pequenos, e criança pequena tem que ficar com a mãe e pronto...sempre pensei. Mas chega uma hora que mesmo sendo mãe, a gente tem que viver a própria vida, e assim eu cortei o cordão umbilical, e cheia de temores e culpas, segui meu caminho dando o primeiro passo sem eles.

Desde que me separei, fiz Tai chi chuan por dois anos consecutivos, curti muito, fiz uma certa amizade com o meu mestre, mas como Bebete é uma pessoa que adora experimentar, eu depois eu parei...mas o caso, é que sempre estou buscando através de técnicas específicas o contato com meu EU.
Sou assim, mergulho fundo no assunto, chego a ser até fanática, compro livros, música, visito sites, sempre estou inventando moda, e já foi bio-dança, jazz, dança contemporânea, natação(curso mesmo de vários estilos), aqua-jogging, corridas de bicicleta, running(também competição), meditação transcendental (foi uma catástrofe), etc. Posso dizer que sou uma pessoa determinada: chega um determinado momento eu encho o saco e parto pra próxima, não propriamente com espaços de tempos delimitados, mas acredito que o corpo é nosso templo, a nossa máquina que temos que manter em movimento pra não enferrujar, não somente nosso cérebro, ainda mais eu sendo geminiana, estou sempre em movimento, dizem que é impossível agarrar um gemininiano, ele está sempre de saída.

Há muitos anos atrás queria fazer yoga no nosso querido Brasil, mas fiquei querendo e o momento nunca chegava porque apesar de minha admiração e respeito, sempre achei muito parado, ficar lá respirando, inspira...expira...sem blá blá blá nenhum. Comecei em setembro do ano passado e parecia que em todos esses anos eu não estava preparada para tal mesmo.
E agora, enquanto eu viver...quero que a yoga faça parte do meu dia a dia, e tomara que eu continue saudável como a minha professora que deve estar na casa dos 60.
A.TV de Yoga que eu descobri que me ajuda a fazer os exercícios em casa, porque é muito difícil para os iniciantes, lembrar das aulas, dos movimentos, dos momentos de respiração em cada movimento e o que é mais desafiante um lugar tranquilo na casa, sem barulhos ou pessoas correndo ao redor, um mat=tipo colchonete de borracha.
Aliás é isso que faz a yoga diferir de tantas outras coisas, é uma viagem pessoal, individual pra dentro de si, e depois faz parte da sua rotina, os movimentos que vão ajudar quando se tem dores lombares, falta de sono, dores de cabeça, ou simplesmente pra relaxar.

A Yoga pra mim também funciona como psico-educação e meditação, sempre fui uma mente inquieta, para o bem e para o mal, mas o que busco é o equilíbrio. Me ajuda a ser disciplinada, porque é muito bom de fazer, e é um dos poucos momentos que eu esqueço todos os afazeres do dia a dia, que eu me ausento do mundo lá fora,de minhas preocupações, e viajo pra dentro de mim mesma, numa viagem sem tempo determinado, sem destino, dentro do meu ser, através da minha energia corpórea da minha mente, vagando assim, sem pensar em nada, respirando simplesmente.
Talvez meu momento tenha chegado graças ao carbonato de lítio, que extirpou toda a ansiedade que eu sinto desde que me conheço por gente.
Agora é a minha hora, onde eu me concentro na minha cura pessoal como um todo, sem almejar perfeição, obrigação, cada aula, cada momento é um descobrimento, sem tempo nem espaço, vivendo o momento presente, que eu lia tanto em teoria.

Na página inicial de yoga na net (existem vários assuntos aqui como página inicial), você encontra todos os assuntos referentes.
É uma pena que é em holandês.
Em viagens holísticas descobri vários sites de férias interessantes, referentes aos diferentes tipos de yoga(hatha, ashtanga, kundalini, power, acro, etc). Detox está muito em voga como destino ultimamente. Ir pra determinado lugar, e se dexintoxicar da vida cotidiana, da comida, do trânsito, dos filhos, marido, famílias, obrigações, vícios, contas, dívidas, barulho, poluição...uma limpeza total. Existem os mais absurdos pacotes hoje em dia, como ir pra um determinado lugar e ficar uma semana sem falar nada. Eu não cheguei lá ainda, porque não vejo nenhum propósito para tal no momento.

Os preços também são variados, há muitos lugares que metem a faca, do tipo...compre o livro o Cd, assista o filme, compre o game, vá ao show, t-shirt...e o use o ringtone pro seu celular.

Há muitos charlatões também, oportunistas, férias para paranormais(?)existem também, ver a aura, ler a mão, tirar tarot, cursos, workshops. Isso eu já considero apelativo, mas acredite se quiser o povo holandês, viaja muito...e o tipo de viagens são quase todos dentro de categorias, rótulos e bolsos.
Só morando aqui pra saber, mas é assim.

Ainda estou por escolher onde ir, mas uma coisa que eu sei que vou fazer nessas férias, é arredar todos os móveis e pintar as paredes da sala.

1 comment:

Beth Blue said...

Bom saber que você está entrando numa fase mais ZEN, a vida é assim mesmo, né? (eu que o diga, também ando numa fase tranquila, graças a Deus e ao F. hehehe).