Friday, April 18, 2008

Eu amo vintage


Eles também.

Ontem mesmo comprei um boneco Bendos, detector de metal, pra colecionadores, achei como quem não quer nada numa "Kringloopwinkel" (lojas de artigos usados de tudo quanto é gênero). Você pode montar uma casa, até, ou esvaziar a sua.

Cheguei em casa dei pro meu filho.
Ele olhou e disse:

- Pra que eu quero isso?

(Será que não puxou a mãe)- pensei.

- Ah! É um robô legal, filho....no fundo sabia que o brinquedo era pra mim.

Adoro vintage, e gosto um pouco de kitsh e retrô.
Que saco, tenho que me cuidar, curar desse vício, vivo comprando cada coisa, daria pra montar um bom bazar, um dia minha casa explode.

Será?
Cada vez que vejo um poster, desenho, móvel, objeto de design do meu gosto, roupa, padronagem tecido antigo, geladeira, rádio, óculos...carro, Seleções reader's digest, brinquedos, revistas, livros, tem mais???, fico doidinha da silva.

A medicina não resolve, e acho que nem quero...me empanturro de pílulas, que prometiam curar essa tendência consumista, e nada.
Bric a brac, mercado das pulgas, feiras de antiguidades, mercados de rua...brechós.
E até objetos achados na rua.
Aqui em Leiden tem a Weggeefwinkel uma iniciativa e projeto da Eurodusnie, não confundir com Eurodisney, uma loja que é tudo de graça, onde você leva o que não quer mais, impressoras velhas, computers, roupas, livros, aparelhos de ginástica, ski, raquete de tênis, e tudo o mais, mas sempre se acaba achando algo que não precisa e vai além disso, eles são ativistas e levam o projeto a sério, tem também um café, sala de cinema, e o lema é: Het geld maakt het leven kapot ( o dinheiro estraga a vida), são de esquerda e possuem uma fundação.

Minhas antenas estão sempre ligadas nesse fuça fuça.

1 comment:

Annix said...

Ha! E agora lembrei de uma vez que fui ao Massivo e vc estava na porta e gostou de uma bolsinha dos anos 40 (que acho que era da minha avó) que eu estava segurando. Cazzo, isso faz quase vinte anos (eu tb só usava vintage na época)