Monday, June 18, 2007

Yoshitomo Nara


Por acaso acabei visitando nesse final de semana a belíssima exposição do artista pop japonês Yoshitomo Nara, que desculpem a minha ignorância nem sabia que existia, mas estou começando a acreditar que uma coisa puxa outra desde que semana passada fiquei "amiga" de vários bonecos bacanas e bandas de bossa nova japonesas no My Space, e a semana fechou assim no mesmo estilo.
O trabalho dele é a minha cara, adoro ver bonecas de olhos grandes e cabelo chanel, maria chiquinha e corpo pequeno e também brinquedos pra gente grande, dou mil pulinhos que nem criança, e me dá mais ânimo pra viver, porque normalmente acho tudo tão batido e chato e percebo que através desse tipo de arte, a gente contesta mais o mundo do imposto e de adultos, ai que mundo chato e cheio de pose. Aas cores que ele usa são em tons pastéis em algumas telas, e outras escuras e opacas, o opaco fica muito chique, e a textura das telas, parece que ele em algumas coloca uma base de gaze aos pedacinhos, e o tema, não é só fofura, mas também é diferente de Trevor Brown que assusta crianças, ele intriga mas não assusta as criancinhas, mas sua arte é pra adultos, que nem eu antigamente era clubber kid, poucas pessoas entendem, ou pelo menos os adultos que uma pessoa pode gostar de algo anti convencional, talvez porque quando estudei desenho publicitário, eu era um desastre em desenho, mas era ótima em criar personagens como "a Chorona", uma personagem de estórias em quadrinhos criada por mim, vestido tubinho, cabelo chanel com franja preto e pernas gordinhas em triângulo, e um olho podia ser desproporcional no rosto, e essa mesma improbabilidade distante da realidade só em arte moderna mesmo...ah, no fundo eu gosto de tudo que me toca, mas não toco nada só pedra n'água, mas gosto de ver algo perto do meu universo.
Já ele tem as bonequinhas fofas, mas também mostra um pouco da agressividade da infância, da hostilidade de um mundo infantil quase isento de contos da carochinha, porque hoje em dia a violência está em todos os lugares(mas lá no Japão a coisa é preta pras crianças e juventude)ai os japoneses inventam os pockemons(eu mesmo sei que aqueles aparentemente inofensivos bonecos, são um poço de ódio e poder). Bom a violência predomina, nos brinquedos, games, tv, aliás numa forma mais exagerada do que antigamente, porque é sempre a mesma estória o bem contra o mal, mas nesse interim...muito sangue jorra, muitas batalhas, jogo de poder, muito monstrinho fraco, muitos fortes...HP (high power) LP(low power) dos mais de 300 cartões que o meu filho tem, que é um hype hoje em dia, se você prestar bem atenção, esses cartões e seus referentes monstros são pura estratégia de guerra na luta pelo poder, os samurais do século XXI.
Enfim, eu achei uma graça e o cara é muito bom.
Ao lado do museu de fotografia onde vi o último dia da exposição de fotos da atriz francesa Isabelle Huppert está o GEM, e lá está a exposição, instalação de Nara, que parece nome de mulher, mas nome japonês é assim mesmo, parece nome de homem é de mulher e vice versa, isso pra quem não sabe, lembro minhas minhas Miuky, Kiomi, Terumi...
Já as fotos da sardenta e talentosa atriz foram retratadas por vários fotógrafos de renome como Henri-Cartier Bresson, Irving Penn, Annie Leibovitz e o holandês, xi........qual é o nome dele mesmo? Depois volto aqui, nome complicado...vale dizer que muitos já morreram, e isso faz que a "Diversas faces de Isabelle" o nome da exposição, tenha um valor mais especial no mundo da fotografia.
Eu gostei mas chega uma hora, que essa vaidade ocidental toda me enche o saco, portret de uma pessoa do ocidente e famosa,adoro os filmes dela, Ma Mere por exemplo me deixou de queixo caído quando vi a primeira vez, mas infelizmente e na minha opinião o Nara a ofuscou, e eu gosto mesmo de uma sujeirinha com cara de novidade como é/foi a exposição dele. Nas casinhas e túneis e pontes de madeiras que fazem parte da exposição/instalação, você viaja literalmente. Há momentos que você se sente um gigante, porque tem de se abaixar pra passar nos corredores de uma sala pra outra, e as janelinhas são uma graça, onde você pode ver os quadros ou instalações de vários ângulos, os bonecos, o maravilhoso tapete de bonecos e bichinhos de pelúcia(japoneses)recobertos com um chão de acrílico incolor resistente. Fiquei realmente impressionada e feliz por tomar conhecimento desse artista modernérrimo da minha geração, gente como a gente, aliás como eu queria ser quando crescer, sai de lá, querendo voltar a fazer a Chorona, buááááááá.

Se você gostar desse tipo de arte não deixe de fazer uma visita por lá, na praça de Museus em Den Haag.
Gem

4 comments:

annix said...

Eu conheci o Yoshitomo Nara pela capa de um CD do Shonen Knife, há quase dez anos. Depois achei uns livros incríveis dele, e lembro de ter visto algo em alguma galeria ou museu...em alguma cidade - não lembro mais, hahaha. Ele é sensacional, bem pop art.

annix said...

Ah, e esse lance da agressividade e violência na cultura pop oriental é minha tese do mestrado. Basicamente, quanto mais repressão, mais reação. Os japoneses especialmente têm enraizada uma noção de polidez e formalidade extremos - e daí tu vê o que eles produzem.

Beth Blue said...

hummm, interessante esta exposição de cultura pop japonesa. me deu até vontade de ar um pulo em Den Haag.

Anonymous said...

Valeu a info, ja me encantaria poder dar um pulinho ai para ver essa expo,ainda mais que imagino que deva estar maravilhosa a Holanda com esses dias de sol e calor! Mas seria dificil sair de Barcelona, acabei de chegar da Bretagne e no posso sair daqui agora, mas vou dar uma pesquisada no artista que também desconheço.Olha da uma olhadinha nessa artista brasileira, super fofas também suas bonequinhas!bjus.

http://www.waleska.co.uk/canvas_1.html