Monday, June 4, 2007

Differently happy



















Allegory of Happiness 1564
Oil on copper, 40 x 30 cm
Galleria degli Uffizi, Florence




Não, não descobri o "meu caminho", porque que nem o poeta dizia.

"Caminhante, não existe caminho, o caminho se faz ao caminhar", e essa caminhada é todo o dia, dia após dia, até o último sopro (de vida).


Mas eu mudei, estou muito feliz (hoje) de um modo diferente daquela felicidade, que você quer contar pra todos, contagiar o mundo e todos ao redor, ou pelo menos eu era assim antes...



Estou feliz por saber que mudei, e também curiosa por descobrir a cada dia, o que essa mudança traz de positivo na minha vida e dos meus, já vi melhoras concretas porisso sei que funciona, estou mais alerta, discreta(eu??? sim), observadora (sempre fui - mas de um outro jeito), e ouço mais, o que é quase incrível, mas é verdade.



Eu mudei porque sei que posso controlar meus impulsos, eu mudei porque percebo que assim eu fico mais perto de meus objetivos pessoais, tanto maiores como menores, estabelecendo metas, avaliando meu comportamento, mas não me criticando, o passado é o passado, não há como negar o passado, principalmente as burradas que se faz, teve bons acontecimentos também, mas é muito interessante.




Eu mudei porque sigo um tratamento consciente, odeio tomar pílulas achando que elas vão resolver os meus problemas, e colocar pra baixo do tapete, coisas que negativas que nem percebia em minha personalidade.



Sempre fui exigente comigo mesmo, gosto do pacote todo, sou perfeccionista, estudante, e agora sou minha própria cobaia, sem querer.



Mas já que reconheço que algo está errado, não mascaro...pra mim é AGORA, e não no futuro...tudo depende de mim, meu desenvolvimento pessoal, e ações a serem tomadas.
Eu mudei, porque aceito mais as coisas como são, e assim reclamo menos, e reclamando menos me desgasto menos, posso pensar e agir melhor, e deixo a preguiça delado, é difícil extirpá-la, mas venço-a, sigo o meu coração, que é bem diferente de seguir um impulso.
Ligar o piloto automático, é as vezes tão fácil...basta estar cansado, porisso...dormir, pára tudo, sim eu estou em primeiro lugar.



Tenho motivos suficientes pra reclamar de minha sorte e de minha cruz, mas quanto mais reclamamos, parece que o problema só aumenta, e mais chato fica pra nós, e pros outros, reclamar fica ali ali com o desabafo, mas é diferente mesmo.



Hoje mesmo estava num órgão público, tinha marcado hora pra resolver um problema de imposto federal (belasting dienst), e lá estava um homem de cadeira de rodas, sem uma perna.
Isso parece tão comum quando vem de um estranho, o problema é dele...quase ninguém olha pra não ser indiscreto, é assim...a perna não vai voltar.
E a funcionária que marcou comigo, simplesmente me esqueceu, me deixou esperando...e não apareceu. Voltei pra casa, e pensei...seja o que for, ela me liga se desculpando, me confundiu com outra, pediu mil desculpas várias vezes. Eu disse, tudo bem...eu quero que o problema se resolva, e ponto final. Fiquei pensando...eu fui com meu filho, fiquei 45 minutos esperando...pra "nada"...e não dei barraco???


Differently happy...



Não não é só o amor, não não é o sol...o dinheiro recebido de férias, um presente de um amigo, um cartão de aniversário de um irmão (fofinho, já mandou cartão, porque irá pra Itália).
As flores na primavera no jardim, isso tudo ajudam, fazem parte, mas não é a causa.
Não é uma desculpa de fora qualquer, claro que ganhar na loteria ia pegar bem, mas nem jogar eu jogo, então não vai acontecer....só se eu jogar.



Estou assim, e o mérito é todo meu...porque não veio de mão beijada.




A outra festa acabou, ainda sou uma sonhadora, às vezes fujo da realidade, visto-a realidade de colorido, mascaro-a, mas já percebi que dela não dá pra fugir, e quanto mais se foge, mais a tacada de volta fica mais forte. O negócio é pegar leve mesmo, e o gostinho é outro.

Beber pra esquecer também está fora de questão.
Tá legal bebe, tá mal...só vai ficar pior.
Claro, cada um cada um.
O negócio é sorver...tão diferente, apreciar, polir o paladar...tanto uma bebida,
como a vida, pequenos goles, pequenos carnavais.


Logo logo vou começar uma psico-terapia bem diferente, uma terapia que vai enterrar de vez a outra Bebete, agora eu estou de luto (da antiga), esse luto tem um Q de crise de identidade, insegurança, e muita esperança e novidades futuras. É o processo de mudança, tudo pode acontecer diferente do que era, cada dia continuará sendo um novo dia, como é para todos.
Vocês acham que estou brincando? Não, o assunto é sério...só que complicado, afinal a perna perdida agora é a minha.



Parece tudo tão óbvio, e talvez tão estúpido, ou talvez eu esteja até falando grego, pros leitores do blog.
Mas esse tipo de terapia é própria do meu mal, digamos assim, porque você realmente muda quando as coisas se estabilizam. Eu nem sabia que ia tão longe...eu não sabia que podia ser outra, sendo eu...e eu que tanto gostava da lenda do Dr Jekyl Mr. Hyde...

É mais um motivo, pra estar assim differently happy...

3 comments:

Beth Blue said...

não está falando grego não: entendi perfeitamente a sua viagem. mudar é preciso!

Antonio Fontelles said...

Boa sorte na sua mudança, você que já está bem mais adiantada que eu no processo. Eu apenas comecei, ainda há muita areia pela frente, ainda tenho que aprender a diferença entre conformismo e aceitação, entre agradar aos outros e agradar a mim mesmo, mas eu chego là um dia.

Anonymous said...

UM ANJO PRA VOCÊ"


Todos os dias Nosso Pai Amado nos manda um anjo com a missão especial de nos mostrar os caminhos da nossa felicidade. Através de uma carta, um bilhete, uma mensagem, uma pessoa, um "acaso", uma idéia, uma intuição, um telefonema, um abraço, um sonho, etc.

Basta que tenhamos olhos de ver e ouvidos de ouvir.

Um simples ato de amor pode mudar toda a trajetória de um ser humano e pode mudar a trajetória da sua vida também porque estamos todos ligados.

Pense bem de si mesmo, olhe para trás e veja quanta diferença você já fez na vida de alguém. Tenho certeza que irá se surpreender.

“A bondade é mais forte em nós e dura muito mais do que
o mal que nós mesmos praticamos”