Monday, May 7, 2007

Feliz Aniversário Antonio!


Antonio é um amigo meu, brasileiro que morou em vários lugares do mundo, e também em Amsterdã.
Domingo, foi seu aniversário, e agora ele está morando em Bruxelas na capital da União Européia.
Lá fui eu, visitá-lo pela segunda vez. Antonio mora com Mattia o namorado dele. Me sinto muito a vontade na casa dos dois, e eles são pessoas que recebem muito bem, talento pra poucos, e também ser hóspede requer talento. Sou daquelas que "não gosto de incomodar" de jeito nenhum, pois entrar na rotina dos outros já é por si um estorvo, nesse sentido também tenho talento pra ser hóspede, ou assim me considero.

O que eu queria escrever aqui, não é um relato do que fiz, porque foram momentos quase indescritíveis, e prefiro deixá-los guardados na memória. Às vezes pra mim é difícil retratar a felicidade e contentamento com as coisas simples. Reunião de amigos, aniversário, pequena viagem, comidinhas e bebidinhas gostosas, sol, simplicidade e despojamento, outra arquitetura, outro idioma, outro tipo de hábitos dos habitantes, outra tonalidade de cores no ar, até os mendigos são diferentes, e a moda de rua também. Eu viajo pouco, mas fotografo com meus olhos, o máximo possível, e observo atentamente as sutilezas de um lugar que nunca fui, ou mesmo já fui, mas cada vez é diferente.

Sou uma "nova Bebete", e essa Bebete ainda quer continuar meio treslocada, mas está bem desacelerada, e estou gostando dessa novidade, porque já fui assim um dia.
Em um ano muita coisa pode acontecer, não é mesmo?

Em um ano, Antonio saiu de Amsterdã e foi morar em Madri(d) com Mattia, as coisas não fluíram pra eles em Madri e foram pra Barcelona. Em Barcelona a coisa também não funcionou, afinal, mudar de cidade é muito complicado, procurar casa nova, mudança, papeladas de banco e etcetera, procurar empregos. Que canseira e desgaste. Antonio sempre me mantinha a par dos fatos, por emails, não somente pra mim como para os amigos chegados também.
E felizmente acabaram em Bruxelas onde Mattia havia morado anteriormente e tinha uma network, considerável. (O que eu achei muito bom porque é mais perto da Holanda).
Lá se estabeleceram primeiramente na casa de "conhecidos", e depois de "amigos"...até conseguirem no ano novo 2007 se mudar. Empregos arranjados. Agora é tempo de relaxar, e fazer as coisas simples tão necessárias, já que os dois conseguiram emprego na "Comissão Européia", e a vida com sua rotina diária continua.

Eu moro há dez anos em Leiden (quem diria), e só moro aqui porque pra mim é prático...por causa das crianças. Mas me mudaria e moraria sim numa grande cidade, mas o importante pra mim é ter amigos por perto, quanto mais os anos passam mais a importância dos amigos se torna evidente, sorte que Leiden é pertinho de Amsterdã.
Percebo que ainda estou com um "coração partido"da minha relação anterior, apareceu uma pessoa "ótima" que achei que poderia preencher o vão, mas foi uma tentativa frustrada, sou daquelas pessoas que é tudo ou nada, apaixonada por me apaixonar.
Minha relação acabou(nesse ano também como muitos sabem), e por mais que eu sinta que a "coisa foi destrutiva etc e tal", também deixou saudades(partes boas), e o luto permanece. No aniversário do ano passado do Antonio, ELE que deu a dica do restaurante do portuga "De Portugees" pra comemorar o aniversário lá...em Amsterdã, pequenos detalhes que eu não esqueço.
Estávamos (eu e o dito cujo) saindo de Leiden pegando um trem pra ir pra "Blijburg"(um local de praia cheio de hippies e famílias), atrasados...quando Antonio ligou no celular e disse que não precisaria ir, porque o lugar era horrível, e fomos dar "todos" no restaurante português.
Os planos foram mudados de última hora, mas no final tudo deu certo, e mesmo com os "basfonds" da noite, foi inesquecível.

Em um ano, Anna (que também é amiga do Antonio) e trabalharam juntos em São Paulo na Air France, e eram coincidentemente vizinhos de bairro em Amsterdã, se casa com Akira, Antonio e Mattia como padrinhos. E assim parece que o círculo de amizades de nós estrangeiros, vai ficando cada vez mais conectado, unido.

Em um ano meu pai falece no Brasil, em um ano recebo um diagnóstico de BIP(bipolar)...engordo ou incho sete quilos (em menos de um ano).
Em um ano muita coisa pode acontecer, como aconteceu pra mim, e pra eles.
Com as rupturas, separações, tentativas fracassadas (cidade pra morar, ou local pra comemorar o aniversário) e também as uniões, casamento, promessas de um "presente" e futuro feliz, mais tranqüilo, medicação correta e psico educação para curar um "problema"...penso que sempre há uma solução, há sempre um momento pro coração sossegar, um porto seguro, uma "penthouse", um ombro amigo, a proximidade do amado, e momentos agradáveis juntos, cura pras dores da vida.

Só o meu coração partido ainda não curou, e acho que não vai curar tão cedo.
Ou talvez seja melhor ser otimista e paciente esperar o próximo ano, pra ver no que vai dar e até lá, tentar ser feliz com os amigos por perto, e quem sabe estarei que nem o Jorge Mautner dizia, "tudo é uma questão de manter, a mente quieta, a espinha ereta...e coração tranqüilo"...

Feliz aniversário Antonio!
E logo logo te devolvo o livro da Danuza, tá?

2 comments:

Beth Blue said...

puxa vida, eu queria tanto ter ido! ao menos mandei meu presente pela Anna...

Antonio Fontelles said...

Oi minha amiga,
Nossa, eu estou ficando encabulado assim... primeiro foi a Beth, agora voce... eu nao mereco esse confete todo nao, para com isso, mulher...
em todo caso muito obrigado pela amizade, pelo carinho, pela atencao, pela companhia. Amizade e'o melhor presente que eu poderia ter ganho de aniversario, e isso voces todos me deram e continuam me dando de montao... :-)
super beijo, Antonio