Thursday, February 22, 2007

Vida dupla


Eu sigo uma vida dupla, bem que gostaria de que essa mesma vida dupla contivesse o mesmo glamour do tema do filme de Buñuel, um dos meus favoritos de nome "Belle de Jour". Um dos filmes que me marcaram profundamente, na minha carreira de gostar de filmes.

Infelizmente, não sou rica, nem loira, nem jovem, nem bela como Séverine (Catherine Deneuve), não sou francesa, mas igualmente fujo do tédio e como.
Durante a semana sou mãe, e claro adoro os meus rebentos, mas sei o trabalho que eles me dão, e agora entendo quando Elis Regina proferiu aquelas palavras criticadas por todos: "cantar é o que mais amo na vida", filhos depois...(em segundo lugar), ela quis dizer, e ela conseguiu ousar em dizer isso...Maria Rita sobreviveu.

Eu talvez ficasse feliz, tendo uma ama-seca antiga, que cuidasse dos meus pimpolhos, assim poderia ter uma vida, mais condizente com a(s) minhas personalidade(s), e vê-los de vez em quando, no final do dia por exemplo e dár-lhes um beijinho de boa noite que nem o Topo Gigio, mas não, no meu caso ser mãe é um fulltime job.

Então é assim, durante a semana sou mãe, e nos finais de semana sou eu (mesma) ou quem quiser ser. E posso me dar ao prazer ou desprazer de fazer o que bem entendo, que nem Catherine entediada no seu modelão Yves Saint-Laurent, atrás dos carecas (não sexies da época) dos gordos, gordurosos, velhos, proletários homens à busca do contato físico, erótico, exótico...ou de puro sexo, intimidade, atrás de suas fantasias, whatever, era uma troca.

Acredito que out there, existem muitas Séverines como eu, os solteiros e "filhos free", que ainda estão no início da vida, nem sabem e nem precisam saber o que os esperam, quando um dia, tomarem a decisão como eu a tomei, de ter filhos, e mais ainda de...me divorciar....ainda no exílio (enough).

Graças a mim, a meu carma, minha boa estrela, o que for, escolhi por essa vida dupla, e aqueles como eu que precisam de estímulos quaisquer (em forma da palavra, da arte, cultura, anseio existencial, carência emocional), aconselho mesmo. Levem uma vida dupla!

No comments: