Tuesday, March 6, 2007

Eclipse lunar


Sábado, 3 de março de 2007.

Uma amiga veio de Amsterdã, me visitar e passar o sábado comigo.
Nesse final de semana, resolvi fazer um chill -out...nada de Roterdã, Amsterdã, cidades grandes, grandes emoções, sair atrás, resolvi ficar em Leiden.
E no nosso cardápio tinha, dois tipos de menu, primeiro ela iria cozinhar para mim...aliás para nós, um arroz com camarões gambas (aqueles gigantes) com acompanhamentos. Fomos ao mercado, onde se encontra produtos frescos e todos os ingredientes necessários, eu sou mais supermercado...porque sou uma criatura prática e preguiçosa.
Tivemos uma pausa para sentar num café aconchegante para tomar um capuccino/chocolate, e quando chegamos em casa, ela preparou o tal jantar - e como é uma cozinheira de mão cheio, ficou divino, que eu pensei que seria um risoto...mas não era.
Ápós o jantar resolvemos sair na "night', hahahaha que piada, mas de fato existe uma cena noturna em Leiden, principalmente para os chatos estudantes universitários que se divertem horrores, e pros babies faces holandeses em geral, pra gente como a gente, é tentar se enturmar (dificílimo), ou sair com o próprio grupo.

Fomos a pé (normalmente saio de bicicleta), e quando ela me falou, olha a LUA QUE BONITA ESTÁ CHEIA, eu olhei assim meio sem interesse porque estava ocupada com o cadeado na minha bicicleta. Fomos primeiro no bar FORTALEZA, a proprietária e brasileira e o marido holandês. Pra nós brasileiros não tem nada demais, tinha umas pessoas com berimbaus lá, e tinha até comida de graça, mas havíamos acabado de jantar, o bar tem papagaio pendurado, telão, é todo verde e amarelo, e fomos pro Jazz Café - de Duke, todas as noites tem bandas ao vivo por lá, e eu disse....todas, até segunda feira, pra quem gosta de jazz é divertido, e bom pra ver gente. Como ela queria ver um café tipico holandês, demos uma volta e na frente do café os velhos - acredito que acimade 55 anos, começaram a fazer sinal pra entrarmos....fugimos correndo, porque pelo amor de Deus, ainda não estamos desesperadas, e preparadas para caridades com a terceira idade, normalmente aqui eles têm bigodões hiperbólicos, não suporto homem de bigode.

Resolvi mostrar à ela um pub que frequentava com uma amiga escocesa a Esther, quando éramos singles, o pub North End...estava cheio e a tal frequência de estudantes universários. Sentamos ao balcão, e ela pediu cerveja e eu....coca cola. Ao nosso lado estava um cara, que eu nem olhei pra cara porque não sou indiscreta, mas peguei o isqueiro dele pra acender o meu cigarro....(mal educada) sem pedir. Na noite sempre gosto de fazer umas bobagens deste estilo.
Minha amiga vou chamá-la de Madresilva, achou o cúmulo(sendo que ela mesma pega cigarro acesso da boca de strangers como isqueiro) e eu resolvi pedir desculpas pro sujeito, e sendo que ele não falava holandês, tudo ficou mais a vontade, pra minha amiga que ficou acredito, umas duas horas falando com ele.
O sujeito era difícil de decifrar, apesar de eu opiniar, querer entrar na conversation....senti que ele tinha olhos e bocas pra ela, o que eu não achei problema nenhum, porque eu só gosto de homens com sexapeal ou com elán, e ele não tinha nenhum nem outro, até tentei "captar" um charme inexistente na criatura, mas não achei.., e olha que adoro um inglês, sotaque, voz, polidez, língua, pele branca...e por ai vai.
A pessoa se chamava Lawrence, e estava bebendo café expresso, dois copos de conhaque (um barato e um caro) e uma cerveja guiness irlandesa - daquelas gigantes. Assim...solitário e parecia contente....com seus dois celulares, tudo arrumadinho a sua frente.

Quando não se bebe álcool, se vê o mundo com outra visão, ou seja, na visão da realidade...e a realidade pode muitas vezes ser enfadonha.
Olhava ao meu redor, e não via nada em que pudesse me agarrar pra pelos menos me sentir, que estava no sábado a noite, saindo....tentando me divertir, me entreter, as pessoas com cara de normais, eu normal....sem beber, eles naquele papo furado, que não me dizia absolutamente nada, o que não se faz por amizade, até paciência estou aprendendo a ter.
Quase sempre me diverto sem bebida, mas por causa de minha medicação(quem acompanha esse blog, ou me conhece sabe porque), a bebida natural que faz parte da minha doença, sumiu por causa dos medicamentos. E os tais estímulos que antes, poderiam aparecer do nada,
agora estão escassos, e tudo fica sem tempero...normal....realista, assim sem graça mesmo, lado positivo... às vezes me concentro bem, às vezes não, às vezes me sinto um vegetal, todos os dias são iguais, foram-se as grandes emoções, mas não desisto.

Opto....por não dizer os clichés que "reality sucks"..., mas só sucks...quando você coloca na cabeça que sucks, sim estou aprendendo com neuro-linguística e também carma, e assim a realidade sucks lesser.

E pra não perder o fio da meada, depois de uma agoniante estada em um bar sentada, digo de carteirinha que odeiiiiiiiiio ficar sentada, em bar...principalmente no bar, bebendo coca cola, e quando não tenho nenhum assunto filosófico de bar pra resolver, ou uns olhos verdes a me convencer que a vida vale a pena, ou com amigos íntimos por perto que falem de tudo e nada, mas mesmo assim é inspirante, tudo contrário fica muito chato, e a porta da saída é a minha melhor amiga.

Saímos e fomos dançar no Oloroso, é um barclub...quando vi as tímidas luzes da pista de dança, pensei comigo meu elemento....aliás quase, era ao bar dos six packs, mas eu não vi six packs nenhum porque todo mundo usa muita roupa no inverno, ai que lástima.
Minha amiga, depois de várias rodadas pagas pelo Mr. Lawrence, já estava começando a ficar animada, e ia de vez em quando pedir ao DJ "Make me Shake"....DJ...you don't make me shake, make me shake.
Se eu fosse o DJ, já teria pedido demissão, hahahaha.....Make me shake...bom, eu não parava de dançar, e a minha amiga....é o tipo de pessoa - existe esse tipo- que gosta e se diverte de desafiar e "cutucar' digamos assim os outros, e de certa forma he made us shake....mas o lugar é provinciano e não ajuda, e resolvemos puxar mais uma vez o carro.

Continuamos nossa peregrinação e dirigimos para a o MásYMas...holandês tem mania de que nome de lugar tem que ser latino. In casa, Mas YMas, Oloroso...bueno, no Más e Más era um festival de picumã/amapoa (mujeres) na pista....olhamos e saímos correndo, a concorrência tava demais, pocahontas demais, e tudo na faixa dos 20... Fomos no Odessa ao lado, lá...um festival de crianças de 14 anos, pelo sneakers sujos e rostos com acne deu pra ver, numa mesa sentados havia quatro meninos, via o meu filho. Éramos vovós por lá, e realmente lá não era o "nosso" lugar, aliás o meu lugar era a cama.

Resolvemos voltar para o ponto de partida, porque a fome dela havia batido novamente...e ...
De volta a estaca zero o bar Fortaleza, sentei no bar, e eis que vi um Nerd maravilhoso do meu lado, no máximo uns 25 anos, e pedi" Wil je voor me een guaraná trateren???" (***paga um guaraná pra mim please)...o menino ficou passado e disse, o que????
Isso não é holandês,....então, não paga....simplesmente respondi, e fica conversando com esse seu amigo a noite inteira, babaca...(só pensei)
E ele, claro...o que você quer mesmo???? Guaraná e você(pensei com os meus botões...)sinceramente adoro nerds, com óculos, o jeito de ser, ar tímido, acredito que não entende nada de anatomia feminina....ou sim?

Resultado ficamos "amiguinhos". O garoto estuda economia, e faz websites pra dentistas(say what?) Ok, telefones trocados, nunca se sabe, e depende de mim se terá uma continuação....porque percebo quando eles querem 'ter experiência". Saímos do Fortaleza...eu e Madresilva. Olhamos pro céu e a lua estava quarto minguante.Olha a lua mudou, ela disse.
Minutos depois em casa....de minha sala, há um janelão grande de vidro, ela olha pra fora e diz:

-Olha lá, a lua mudou de novo está quarto crescente agora.
Lembrei-me de ter lido algo sobre o eclipse lunar, e respondi...é um eclipse e continuei fazendo que tinha que fazer.
No dia seguinte a certeza do eclipse lunar, ela não estava tão embriagada, e eu estava bêbada de coca cola, como sempre.

No comments: