Monday, March 26, 2007

Universo do teu corpo


Desagradável, lamentável, triste. Às vezes nos sentimos assim pelos outros, não por nós mesmos.
Se os sonhos dos amigos se desfazem, se as coisas não são como queremos, fica no ar aquele "desapontamento"...a decepção de um momento harmônico longo que passou.
E assim foi o que aconteceu com um casal amigo, posso chamá-los de amigos, porque assim os adotei, apesar de serem DUAS PESSOAS DIFERENTES, mas depois de anos, um casal vira um casal, ou O CASAL.
Os dois lindíssimos, inteligentes, no frescor da reflexão e juventude, alucinados, zen, cool...os dois...escolados, descolados, viajados(?) muy amiga né? Modernos, e assim é com amigo, adjetivos nunca faltam. E os defeitos, a gente não vê. É que nem comprar um objeto eletrônico, fica-se com o objeto, ele é instalado, mas o manual de instruções se guarda na pasta de manuais depois de utilizado...eles não são necessários todo o dia...como os defeitos, dos amigos.

Na verdade, eles são amigos de muy amigos meus, e assim ficou aquele gancho. Porque brasileiro amigo é amigo mesmo, principalmente aqueles que a gente conhece no outro lado do oceano. As amizades além mar, são muitas vezes capengas, percebo a cada dia. Porque as pessoas não nos viu lá, não sabe do outro lado...lá. E aqui, é um remedo de vida, principalmente pra quem emigrou depois dois 36 que é o meu caso. Ser a gente mesmo é o melhor segredo, pra saber se a amizade é amizade de verdade, até com faniquitos. Sempre com exceções, lógico.

Eta eu, como sou enrolada. Mas esses meus amigos...que logo logo, terei que separá-los, porque eles "acabaram" de se separar, depois de dez anos, ou mais(?) de relacionamento, casamento, vida conjugada, amizade profunda, carinho mútuo visível, vivências compartilhadas, papéis, coisas virtuais e várias....cores, decoração da casa/apê, viagens, trabalho. Os dois têm, e bem "legal"...na parte de criação, jornalismo. Pessoas antes de tudo, criativas, agitadas...ela mais que ele, inquietude da juventude, aquela que te dá fome, sede, de experiência, de conhecimento. Eu já tive MUITO, e agora por força das circunstâncias (maternidade) tive que amarrar minha mula no quintal. Pessoas que inspiram os outros, porque toda a pessoa que vai atrás de UM SONHO, é objeto de inspiração, admiração e devoção.

Pois é, eles estão se separando...e eu não gosto, e não gostei, e o universo tá dormindo ainda, porque ela ainda não tirou todos os seus pertences do apto (já fazem cinco meses).
O universo terá que acordar...pra trabalhar a favor dessa separação corporal.
E achei que nas separações, assim como os filmes mostram.
Deveria haver um GRANDE motivo, lógico, palpável, pra explicação geral pro público...mas isso não existe, as pessoas simplesmente se separam, e é sempre DOLOROSO.
E como ela mesmo me confidenciou meses atrás, a relação era perfeita (demais), mas vai saber?


Se alguém tiver algo contra, fale agora ou cale-se para sempre!

- Eu falaria:

Tentem outra vez, utilizem formas alternativas como casamento aberto, LAT-relationship (living apart-together), terapia alternativa de casal. E o escambaú.
Não façam a mesma burrada que fiz 22 atrás...Um grande amor não aparece na esquina.

Mas sei qual será a resposta. Porque temos a tendência em resolver os problemas dos OUTROS EM DEZ MINUTOS.
Duas cabeças, duas sentenças, duas almas...dez minutos é muito pouco.
Mas a maioria das vezes, as almas se fundem tanto, que nós mortais só queremos ver esse show, all over again..

E chega na hora que ele acaba, e acaba nossa alegria, somos meros expectadores, a cortina se fechou, e se for cinema, a sessão acabou, as luzes se acendem, beijinho beijinho ciao ciao.
Prá nós só resta os comentários, como por exemplo: "A fotografia era bem melhor que o enredo"...pois é, pois não.

E para os meus queridos uma musiquinha.
Depois aprendo a fazer disso um rádio também...

Universo do teu corpo

Eu desisto,
Não existe essa manhã que eu perseguia.
Um lugar que me dê trégua ou me sorria.
Uma gente que não viva só pra si
Só encontro,
Gente amarga mergulhada no passado
Procurando repartir seu mundo errado
Nessa vida sem amor que eu aprendi

Por uns velhos vãos motivos
Somos cegos e cativos
No deserto do universo sem amor

É por isso que eu preciso
De você, como eu preciso
Não me deixe um só minuto sem amor
Vem comigo ,
Meu pedaço de universo é no teu corpo
Eu te abraço, corpo imerso no teu corpo
E em teus braços se unem versos à canção
Em que eu digo,
Que estou morto pra este mundo antigo
Que meu porto, meu destino, meu abrigo
São teu corpo amante, amigo em minhas mãos.

Taiguara

5 comments:

afbarreto said...

Essa era a música preferida da minha mãe.

anlene gomes de souza said...

bebete: cheguei até aqui porque "ela" te linkou. será que este é a mesma dupla que me deixou varios dias todo dando voltas e voltas e voltas sem entender patavinas? até escrei uma coisa pequena que chamei de "a vida & as coisas da vida". mas você fez muito melhor. voltarei. besitos madrileños

anlene gomes de souza said...

p.s. estou aqui: www.dmadrid.blogger.com.br

jorge said...

linda. da vida a gente acha que entende tudo, até que se dá conta que virou adulto quando de repente ñ entende nada. o grande amor ñ está na volta da esquina, esquecer ñ é fácil, separar dói. mas as vezes temos que sair na chuva e no frio pq é o que toca. obrigado pelas lindas palavras e pelo desejo mais bonito. a vida dirá...

Vera said...

Oxente eu não consigo lembrar-me da melodia... Porém posso ouvi-la dentro do meu coração...