Thursday, April 5, 2007

A lebre e o manto da PÁSCOA


Qual a diferença entre um coelho e uma lebre?

Você sabe? Eu sei vendo, mas biologicamente não vejo lá muita diferença, os dois correm por ai, tem orelhas compridas, e se parecem, no mundo animal sou meio ignorante, lições na escola, lição de casa, notas boas na escola, mas o que não não nos interessa a gente esquece. Realmente não me interessava, não me interessava e quase ponto final, eu até aprendia, mas e ai?

Falo isso porque aqui na Holanda - minha segunda vida, na mesma vida, ou seria terceira (?) Porto Alegre/São Paulo?Leiden (4 meses em Londres e 8 meses em Pelotas quase não conto).vide que imigrei com 36 anos (idade adultésssssssssssima), tive que aprender tudo praticamente do zero. This is a book, it's a table, the table is yellow submarine. Dit is een boek, de tafel is geel. Cuidado pra não pronunciar "geil".

Alíás o bom de viver num yellow submarine é que ele já está afundado...nas profundezas.
E a Páscoa aqui na Holanda é tudo AMARELO, temporariamente se vive num yellow submarine.

Um desafio que procurei (ou saria sarna pra me coçar) quando sai do Brasil,  porque no meu Green Yellow Submarine tudo estava pronto pra mim, um tédio, a língua, Isto é um livro, A mesa é amarela. Fama, dinheiro, fortuna, reconhecimento do meu trabalho. Pergunte para um "clubber" em São Paulo, onde é o " quarteirão Bebete Indarte", a Bebete ele não dever conhecer, mas o nome é bem provável, tipo da coisa que não enche barriga, não paga contas, e chega uma hora que as pessoas nem sabem mais o que aconteceu no século XX.

Concertos pelo Brasil afora, hotéis 5 estrelas, entrevistas pra TV, programas, autógrafos, jornais, e tudo que vem com a fama meteórica, como se tudo caísse assim, na sua cabeça, "de repente" você é alguém, começam a acreditar que você é especial, que você "alguém" que tem algo a dizer, um pequeno salvador da pátria, e ai você percebe que são os 15 minutos de fama (Ok, um pouco mais longos) e que o "Sunset Boulevard" vai chegar um dia, melhor dar uma de Greta Garbo, Brigitte Bardot, sumir do mapa, puxar o carro, e largar essas mentiras todas (mayas), porque o pior de tudo é mentir pra si mesmo, então puxei o carro, tava louca pra brincar de casinha, ser mamãe, adoro me reinventar.,.e ter sarna pra me coçar, talvez tenha sido um cão vira-latas no sex XIX.
Bebete vambora, pois já está na hora. Hoje em dia a gíria até mudou: vaza, vaza...e vazei...o submarino vazou e foi dar na praia do mar norte.

E está chegando a hora da ....páscoa, todo mundo se empanturrando de ovos de chocolate, do Coelhinho da Páscoa...no Brasil, porque aqui é Lebre da Páscoa, e que diacho é isso, a Páscoa?

E tanto faz, coelho ou lebre, os ovos são de chocolate mesmo, e de galinha no café da manhã, aqui na Europa se come muito ovo no café da manhã, as crianças pintam os ovos...mas não comem, os meus filhos nem são muito fanáticos por ovos cozidos, coisa de adulto.

Só tive páscoa mesmo, no verdadeiro sentido da palavra, quando morava com minha mãe, na sexta feira santa, peixe, bacalhau...ninguém podia falar alto, minha mãe não podia bater na gente, nem puxar a orelha. E a gente se aproveitava da situação e fazia travessuras, na sexta feira santa, minha mãe fazia questão do peixe-pão-vinho, (o trio ternura) carne de vaca com sangue nem pensar, bem como foi a SANTA CEIA, dizia ela e aqueles apóstolos todos e o Judas, aquele cretino traidor, (me fizeram odiar um cara que nem conheço) bem feito que se enforcou, mas pra mim um coitado, porque nem pode aproveitar o dinheiro que ganhou, e fora que no filme Jesus Cristo Superstar ele é o melhor, eta voz de negão legal. Adoro o Judas. Onde Judas perdeu as botas...

No feriado na TV, passava o filme "O manto sagrado"..., escurecíamos a sala, e ficava que nem cinema, e todos unidos, assistindo pela milésima vez o mesmo filme. Todos. Até meu pai dava o braço a torcer e se unia à nós. Ninguém dava nem um pio.

Venho de uma família grande, 8 filhos de diferentes idades, 6 irmãos e uma irmã. Meu irmão Beto o mais alto, colocava um cobertor verde escuro no janelão, porque a cortinha bege da sala não dava conta, era o ponto alto do dia, junto com a chamada VAI COMEÇAR O FILME!, não existia vídeos VHS/dvd's/computadores...éramos em muitos, e felizes com o que tínhamos, a nossa TV e preta e branca. (Estou falando agora dos anos 60, sec XX).

Era um clássico, isso na páscoa, ir a missa, me assistir no coral da igreja São Sebastião, músicas ensaiadas para a ocasião (boa parte do ano), os rituais todos de uma grande família, que vivia mesmo com todos os problemas em completa harmonia.
Meu irmão caçula, sempre ganhava o ovo maior, gigante até...o que era um absurdo, o menor com ovo maior, e todo mundo ficava de olho na cestinha recheada/cestão dele, furtar era poribido. E minhas amiguinhas vizinhas, Themis e Maria Inês...filha(s) únicas, ganhavam ovos pro ano inteiro, que ficavam cheios de poeira branca, velhos, porque não comiam, e não dividiam com ninguém, e se exibiam da duração dos ovos podres delas. Os meus acabavam no primeiro dia, que importa...tinha mais o que me preocupar, sempre me distrai muito bem sózinha, com minha bicicleta e minha árvore, outros amigos, nunca fui invejosa com coisas materiais dos outros, o que eu quero, eu consigo, e quando era pequena, comia muito pouco, até mesmo ovos de páscoa.

E aqui, as crianças vão procurar os ovinhos minúsculos - aqui tem muito ovinhos minúsculos de vários sabores, chocolate puro, de leite, branco, misto, pralines...etc E tem muito coelho achocolatado, galinhas, pintinhos. E fora a decoração da casa, da mesa, as receitas especiais para o café da manhã, almoço (brunch), jantar.
As crianças vão pro bosque (passear na floresta enquanto seu lobo não vem), se o tempo estiver bom, procurar os ovos, achá-los e comê-los...
No meu tempo, era acordar e achar uma cestinha debaixo da cama and that's it. Mas cada lugar tem a sua tradição.

Jesus morreu na cruz "pra nos salvar", dizem...salvar de quê?
Nunca entendi essa, e nem tem que entender, tem que engolir, acreditar, que ele ressuscitou no terceiro dia, na páscoa e cala boca e não use camisinha que é proibido, diz o papa. E que ele veio nos salvar, e até hoje procuro um Jesus pra me salvar, mas enquanto isso fico com os ovinhos de chocolate, comprados com meu dinheiro mesmo, e como na hora que os quero.

E dá-lhe overdose de ovinhos, papo de coelhinho e de lebre...depois tudo some, como se fosse um carnaval diferente, no próximo ano tem mais. Essas mentiras que o ser humano encontra pra se ocupar, pra gastar dinheiro, pra ganhar dinheiro, e que somente as crianças acreditam, ou adultos que se recusam a crescer.

Enfim, acredito que a páscoa é pra isso, ouvir musiquinhas "Coelhinho da páscoa que trazes pra mim, um ovo, dois ovos, três ovos assim", é um feriado pra viajar, ou pra relaxar, pra tentar resgatar algo do passado, que nem se sabe mais o que é.
Para PARAR desacelerar.
Pra desejar como quero desejar à vocês: FELIZ PÁSCOA!

E não me pergunte pra que, porque eu desejo que você seja feliz, não somente na páscoa, sempre, o que eu também sei que é completamente impossível, mas a gente tenta.

Talvez eu faça parte dessa cambada de adultos, que quer acreditar em ALGO, pra continuar vivendo, e que de um certo modo, um dia foi criança e acreditou no Coelhinho, na lebre, no pastor alemão, na ovelha, no boi da cara preta, no bicho papão, na Cuca, na Bruxa Malvada, no Lobo Mau, no papai noel, no "yellow submarine,   etcetera e tal.

BOA PÁSCOA À TODOS, anyway! 

No comments:

Tchau querida!

Não estamos alegres, é certo, mas também por que razão haveríamos de ficar tristes? O mar da história é agitado. As ameaças e as gue...