Wednesday, April 18, 2007

Pára o mundo que eu quero descer


Felizmente posso reclamar a vontade por aqui.
Quem não quiser ler, passe amanhã...onde eu poderei estar mais alegre e cativante e menos realista, pessimista, intimista, egoísta, individualista.
O título acima não é meu, é de um pagode (sim, pagode)....que nunca ouvi, mas no ano passado por ocasião de uma visita a uma amiga. Contando a minha saga, ela falou que eu estava nessa fase, que achei bem apropriada, estava trocando de medicação do anti-depressivo ao lítio, e estava me sentindo um lixo, com emoções variadas, conturbadas, pensamentos suicidas, paciência zero, e como nunca havia trocado de um remédio pro outro, não sabia que minhas atitudes impensadas, impulsivas, impetuosas se deviam a situação por qual me encontrara, como por exemplo querer me jogar em velocidade de um carro, puxar a direção pro meu lado...(eu não era a motorista).
Se eu soubesse que a culpa era da química...

Eu que havera jogado todos os rivotril(ansiolítcos), anos atrás no lixo...e nunca mais retornara no consultório daquele psiquiatra caro e charmoso em São Paulo.

Bem que eu queria, descer...ser...aliás, descer e caminhar a pé...por uma estrada de chão batido, sózinha, até "me encontrar"...e se não me encontrasse, ficar por lá mesmo, e assumir minha nova identidade, uma mulher sem passado vinda do além, em busca de uma conexão de internet...pro laptop, pra escrever no blog, no word, etc...parecida com fo filme do Aki Kaurismaki (Man without a past).
Parece que eu terei que tomar atitudes drásticas pra me encontrar...mas a energia pra tomá-las é que são elas. Será que eu realmente quero? Se tudo que ouço hoje em dia são rótulos, e "eles" querem que eu pertecença a algum, seria Matrix?
Escrever pra mim é uma dádiva divina, pelo menos posso e me orgulho disso...além de que me alivia temporariamente de meus temores, a maioria dos bipolares possuem esse dom, hahahaha nossa vingança de um mundo banal....hahahaha.

Estou nessa fase morna, apesar da dosagem do lítio ter diminuído. Saudades também do tempo que nem cogitava sobre a bipolaridade. E às vezes me saboto, e digo a mim mesma. Não sou isso, não tenho isso, só tenho que aprender a lidar com isso.....onde fui me meter, num país onde o seguro de saúde paga os remédios, quase todos.
E lembro de que um dia, por ciúmes de "atenção"...cobri minha cozinha de lixo, bichos de pelúcia, coisas da geladeira - de dentro da geladeira, porcarias em geral. E fiz uma bela obra de arte, com borra de café...frutas velhas, restos de comida...um mosaico de nojo sob o chão.
Quando a criatura chegou, e viu minha masterpeace, só pôde comentar:
- Inacreditável....
O que claro, era acreditável...pois estava tudo ali, em plena luz do dia, pra dá-lo uma lição, onde eu seria capaz de chegar se não conseguisse o desejado, e como não havia conseguido, ele não perdia por esperar....não era uma vingança, era uma diversão, um ato lúdico...porque como uma "louca" eu dava muita risada, me divertindo com a obra.
Isso foi há muitos anos, diria uns sete anos atrás? E eu sempre encontro desculpas pra fazer o que quero, uma eterna criança teimosa.

Eu prefiro que todos me chamem de louca, do que ficar nesse estado, achando que tudo está bem, porque não está.
Minha inconstância está numa velocidade acelerada e constante. Já não me reconheço, e me sinto um joguete do mundo moderno. Abro as revistas e leio facilmente, pessoas falando sobre suas depressões, bipolaridades, sobre medicação, psicoses, esquizofrenia...como se você mais cedo ou mais tarde vai passar por algo assim. Enquanto isso o outro lado, querendo fugir como do diabo da cruz, desse tipo de gente.
Ah! De médico e de louco...

Vou na net, e também encontro...todos compactuando com seus problemas, e dilemas, o barco afundando, e nem o capitão quer ficar.
Leio que Britney Spears, é a maior piada de EUA....e a mídia é uma piada maior ainda. E que um "maluco"...mata 32 numa universidade, um justiceiro das causas próprias. E me recordo do Filme Elephant....viu só quem brinca com fogo faz xixi na cama.
Legal né? Os EUA....vão guerrear no terreno dos outros, enquanto não olham pra próprias calças, o dólar baixo, seria o declínio do Império Americano?

Por que as pessoas estão, andam tão infelizes hoje em dia, por que há tanta violência no mundo, porque nos últimos tempos eu estou sem energia pra começar a fazer ginástica (correr).
Sendo que isso será minha única salvação. (sic)
E as que estão felizes, ou se dizem felizes estão frustadas? Ou não tem nada a dizer, porque às vezes quando se está "feliz" se fica completamente sem graça?Com cara de boboca, robô.
Por que sou tão 8 ou 8O? Ou é tudo...ou nada? E claro eu sempre prefiro altas doses de tudo.

Por que ando tão chata e negativa?
E porque a alegria é tão lega, mas os médicos de loucos preferem chamar hipomania????

Exploda-se o mundo, não quero respostas, eu só quero descer.

1 comment:

Beth Blue said...

então pára o mundo que EU também quero descer...no mais, de perto ninguém é normal. de uma coisa ao menos tenho certeza: prefiro ser louca do que medíocre!